Music Junkie #3

Vamos lá pra terceira edição do Music Junkie, compilação das coisas estranhas que cato pela internet.
Confesso que ando meio sem saco para ouvir(e consequentemente procurar) coisas novas, o que explica o hiatus por aqui, mas pretendo postar mais vezes(por que eu sempre digo isso e nunca cumpro? rs).
Nessa edição teremos mais uma joia canadense, a doce Basia Bulat, as "lendas" do indie rock, Nada Surf e Dinosaur Jr, The Postmarks representando a folk music(que anda tão na "moda"), um hc raivoso com nome engraçado, e a cereja do bolo, também conhecido como El Ten Eleven.
Vamos ao que interessa, certo?

Nota: 3,9 de 5.
O Canadá é a terra da música, disso tenho certeza, cada dia aparece algo bacana vindo de lá, como Julie Dorion, Feist, Arcade Fire, entre tantos outros...
Basia Bulat(pronounced /?bæ?? ?b?ulæt/; phonetically: "BASH-a BOO-lat") é mais uma canadense com um voz fofa fazendo um som meio acústico super gostoso. Atualmente essa talentosa garota tá fazendo turnê no U.S. com ninguém menos que DeVotchKa. Tá com moral, não?
Claro que ela não trás muitas novidades, mas eu sempre acho interessante mulheres cantando, dá uma outra cara para as músicas.
Os meus destaques desse cd seriam a curtinha porém linda Before I Knew, a faixa que dá nome ao cd, Oh, My Darling, I Was A Daughter com seu ritmo totalmente diferente, e ser a faixa mais "longe do lugar comum" do resto do album, e A Secret, baladinha com violão pra ouvir com sua gata num dia chuvoso.

basia bulat - "i was a daughter" @ schuba's 10.12.07

Nota: 3,8 de 5.
É Nada Surf, poxa!
Tá tudo lá da velha formula deles, as guitarras, a voz suave, melodias marcantes, TUDO.
Aí você pensa: tá, que chato, isso de novo?
Eu respondo: sim, só isso já tá bom pra mim, mas para minha total e completa surpresa, eles entram em territórios novos, deixando as guitarras um pouco de lado e aderindo a violões, pianos, e afins, como na belissima The Film Didn't Go 'Round, além de remodelar o som deles, adicionando novos elementos e timbragens, tendo The Fox como um exemplo claro disso.
É um ótemo album de pop-rock, pena que as rádios daqui são burras e só tocam o convencional...

Nada Surf - "Whose Authority"

Nota: 3,4 de 5.
Eles são uma lenda do rock(pelo menos é o que eu li por aí...), apesar de nunca ter ouvido o som deles antes.
O que posso dizer?
Indie rock "old-school"(só ouvindo pra entender o que isso significa), com pegadas de guitarras bacanas, acho que o guitarrista é daqueles guitar heroes virtuosos, saca? E o vocal é bom, meio rouco, legal de se ouvir.
Porém o cd enjoa, sabe? Tudo muito igual, e não é chatice minha, viu? Já ouvi umas quatro vezes, em intervalos de tempo grande, e ainda assim não achei tudo isso que dizem por aí.
A faixa mais bacana do CD é, sem dúvida, Been There All The Time.
Dinosaur Jr.'s Video Clip Been There All The Time
(Clickai e veja, pq não tem player oO)

Nota: 4 de 5.
Folk tá na moda, né?
Mas existem coisas além da Mallu, jovens incautos!
Uma dessas coisas se chama The Postmarks.
Descobri esse lindo trio, sim eles são um trio, pra minha TOTAL surpresa(é tanto som junto, mas se soar forçado, que você não imagina ser um trio...), atraves de um top de capas de cd(adoro top-top's bestas, vocês não?) e acabei me encantando não só pela capa, mas também pelo conteudo.
O som deles é uma delicia, tudo bem que as faixas soam meio repetitivas, mas não deixa de ser uma otima trilha sonora para aquele dia de chuva, você e seu broto debaixo do edredom vendo as gotas caindo na varanda...
E sim, eu ando apaixonado por mulheres cantando.
Será uma fase ou veio pra ficar?

The Postmarks performing "Winter Spring Summer Fall" at Cafe Du Nord in San Francisco on 5/2/2007

Nota: 3,7 de 5.
Confesso que fazia tempo que não ouvia algo assim, raivoso, berrado, super rápido, porém com um ou outro detalhe diferente do hardcore "comum".
Nem sei porque baixei isso, tendo em vista que minha fase HC raivoso ficou meio que pra trás(só ouço os clássicos, como Discarga, Alexisonfire, Mukeka di Rato, e por aí vai, meio que perdi o interesse...), mas valeu a pena, esses italianos são bem competentes em gritar, e berrar, e destruir tudo, com acordes meio que desconstruidos(se é que isso existe), batidas quebrando o tempo todo, e muita, muita guitarra maldosa, me lembrando por muitas vezes Constrito.
Pena que só tem esse cd lançado, pois fiquei curioso pra conhecer mais(se alguém achar infos deles na net deixa ai nos comentarios, ok?)
Ouvi num dia de cão no trabalho e fez um bem danado para a alma!
Tente você também. Só não me culpe se você tiver batido em alguém por lá. ;)


Engine Down - Demure
[havia escrito um mega texto, cheguei da "balada" e não tinha mais nada aqui >.<]
Nota: 3,7 de 5.
Engine Down é uma banda oriunda da cena post-hardcore/emo(emo de verdade, não essas coisas de miguxos de 15 anos de idade...) de Washington D.C. que encerrou suas atividades em 2005(infelismente). Demure foi o penúltimo album lançado pela banda e define de forma clara o que é, pra mim, post-hardcore/emo que tanto ouvia durante meus 15~17 anos. Rolou até uma certa nostalgia enquanto escrevia essa "resenha"...
Ouvindo o CD notei o som ser "similar" a algumas outras coisas que ouvia nessa época, e perguntao ao Oráculo, descobri que o guitar/vocal do Engine Down também toca no Sparta, algo que eu ouvia BASTANTE nessa época de teenager.
Além dele, o baterista também toca em outra banda que gosto bastante, o Cursive, mas este já tem uma proposta bem distante do som do Engine Down.
Eu recomendo o CD, caso goste desse tipo de som, ou caso queria conhece-lo, pois eles definem bem mesmo o que é post-hardcore/emo, mostrando que emo de verdade é coisa de macho! :P

Engine Down - Cover
[não é desse CD mas é o video mais bacana que achei no Seu Tubinho]


Nota: 4,5 de 5.
Primeira vez que ouvi fiquei sem palavras.
Segunda vez meu chefe ficou dançando na sala. rs.
Tá, pula essa parte "engraçada".
O importante é que esse duo(sim, DUO, nem parece) produz uns instrumental fabuloso, cheio de camadas sem fim, algo realmente de primeira, e não é aquele som paradão, ou repetitivo...
No site deles eles se definem como: indie rock, instrumental, bass, bass guitar, fretless bass, guitar, post rock, post post rock, double neck, hypnotic, druggy, cathartic, anthemic, ethereal, atmospheric, spacey, elegant, math rock, emotional, avant garde, ambient, crap.
E eu assino embaixo, tirando por esse crap no final.
Enfim... é espetacular apenas duas pessoas fazerem um som desses.
Por favor, se você não deu a minima pra todas as outras bandas desse post, veja essa com carinho. ;)

El Ten Eleven - Hot Cakes
(a música que fez meu chefe dançar)
[o clipe que eu achei fabuloso]

2 comentários:

Dani disse...

de tudo conheço Feist e Nada Surf... E AMO Nada Surf... Confesso que não saio procurando coisa nova, mas tentarei ouvir alguma coisa e quem sabe te deixar um comentário mais decente? rs

Pablo Pamplona disse...

Nada Surf e Basia Bulat eu conheço. São ótimos! Vou baixar esse El Ten Eleven e o Postmarks, que me interessaram bastante... se gostar mesmo, volto e pego mais nomes :)