Enquanto isso... (no Workshop de Cor)

Bem, eu ia postar outra coisa hoje. Talvez poste duas, enfim, vou começar pela estória de hoje (Há! quem disse que eu nao posso? Bando de intelectualoides parnasianos almofadinhas). Entao, eu ainda ando empolgado com essa historia de Sketch Book, sem nem ter um. Hoje comecei meu Workshop, de uma semana, sobre cor. Confesso que estou meio revoltado com a professora. Onde já se viu?

  • Se eu fosse trazer um objeto que me identifique, eu traria uma massinha pois sou maleavel também (Professora). Ok, finge que eu acredito, que uma libriana, revoltadinha, metida a filósofa, e que disserta sobre si com tanta propriedade, é uma pessoa maleavel.
  • Verde nao é tom frio, aquilo é aquilo, isso é isso, mas tudo depende da situação. Ah eu conheço essas pessoas que começam a ler uns livrinhos de filosofia, descobrem que existem varios pontos de vista, e no final, nao tem nenhum. Já fui um. Essa é uma percepção inerente da pessoa, vem muito da capacidade de critica e principalmente, a arte nao é "quadrada" (que clichê). Mas as teorias existem com uma finalidade, e cabe a pessoa ter talento para sair da teoria com louvor. Lá quero aula de filosofia e teoria da relatividade aplicada em cores?
Ok, eu poderia ficar mais revoltado, simplesmente porque toda a maleabilidade dela sumiu, logo em seguida que ela disse "Eu nao admito ninguem vir aqui pra aula sem o material, se nao vier nao assiste!" E nem vale mais o esforço ficar revoltado, é só uma semana afinal...
Entao, Aula vai, aula vem, revolta vai, revolta vem, eu estava olhando as mocinhas da sala (ainda mais que junta, Industrial Design e Interior Design). Parei o olhar nas pernas cruzadas de uma, logo, pensei: "Uau, merece uma foto." E entao completei: "Foto? Cadê meu Sketch Book?"
Sem Sketch Book em maos, resolvi fazer num bloquinho, rapido, grosseiramente, olhar pernas, desenhar e de quebra, estudar anatomia.




A Dona? Ariana com ascendente em Touro que nem eu. A diferença é que ela é toda sensual e tal e eu nao, claro tem outras coisas tb, como beleza, saldo da conta bancária, etc.
Mas posso confessar, esse Sketch Book está fazendo falta.

Foi um bom começo, e sinceramente, mais legal que tirar foto. Parece que de alguma forma eu me aproprio do objeto (ou no caso, da pessoa em questao) ao transpassar os traços no papel. Nao num sentido ruim, mas num sentido enrriquecedor. Só tenho que parar de olhar para pernas femininas.

Abraços,
Leleco

3 comentários:

gugu disse...

a batata da perna ficou muito real! e eu nem gosto de batata da perna feminina né =)

leleco, quando der, faça um estudo de pés femininos também

e o que vc tem contra librianos, hein? ¬¬

Leleco disse...

Nada contra librianos, só contra aqueles espaçosos que se acham o ó do borogodó!

você tá longe disso.

Jules disse...

parnasiano tem alguma coisa a ver comigo?