Amenizando um pouco...

Já que o post anterior foi bastante ácido, algo para descontrair o dia.
Fala-se muito do gol mil do Romário e eu, nerd torcedor, também tenho acompanhado isso nos blogs de futebol que leio(gente frenética por rss feeds lê feed até de futebol) e achei essa perola no blog do André Rizek. Leia abaixo na integra(adoro ctrl+c, ctrl+v, e dane-se o direito autoral, pelo menos link pro site do cara eu coloquei):

Estamos chegando ao "milésimo" e começam aquelas coisas: qual foi o maior golaço que Romário marcou? Foi a pergunta que o editor de esportes aqui do iG me fez... Pensei naquele elástico em cima do Amaral (1999), Flamengo 3 x 0 Corinthians. Mas depois lembrei de outro que, este sim, foi uma pintura!

O gol mais impressionante que eu vi ele marcar aconteceu na Copa Ouro, em Los Angeles, 1998. Romário não jogou absolutamente nada e acabamos eliminados pelos Estados Unidos. Mas havia uma loira...

Era o objeto de desejo de 10 entre 10 jornalistas. Era a dona de um restaurante, freqüentado pelos repórteres mal intencionados. Um deles, esperançoso, a convidou para assistir a um treino da seleção, achando que o convite lhe abriria portas para o bote mortal. Mas havia Romário no meio do caminho...

No treino, de repente vi Romário fazendo dois ou três sinais para a loira, na arquibancada, que apenas sorria, meio sem graça. Dois ou três sinais mesmo! Foi o suficiente. Romário nunca foi de enfeitar muito as suas jogadas. Com ele não tem frescura: é bola para dentro e um abraço.

À noite, no hall do hotel em que estavam hospedados a seleção e este repórter, de repente aparece a loira, linda de morrer, vestida de preto. Os jornalistas logo a rodearam. Foi aí que Romário saiu do elevador... Pegou a mulher pelo braço ("vambora?") e foi de lá para uma melhor.

Tudo isso depois de dois ou três sinais. Isso que é objetividade, minha gente. Matador é isso!

Como admirador pessoal do melhor centroavante da história do futebol, eu não poderia deixar de complementar este post. Todo mundo sabe que Romário, além de matador na área e, como revelado acima, com as mulheres, ele também não perdoa nos comentários. A sua citação mais famosa foi para cima do "rei", o Edson Arantes do Nascimento, Pelé - que eu particularmente nunca fui com a cara e nunca achei tudo isso que falam porai. Na época dele os zagueiros eram um bando de sonsos e os goleiros não pulavam pra defender os chutes, simplesmente tombavam para o lado. O futebol estava mais pra pebolim do que pra futebol realmente. Pelé teve apenas sorte de ter nascido antes, assim como os outros atacantes (fora gênios como Garrincha, o Ronaldinho Gaúcho da época). Não me recordo bem, mas acho que em uma entrevista com Pelé os jornalistas o estavam comparando com o Romário, ou falaram de Romário, e o "rei" (fdp) fez alguma crítica direta do baixinho. Os abutres jornalísticos não perderam a oportunidade e no dia seguinte foram atrás de Romário. No melhor estilo Romário de ser, o matador apenas respondeu: "O Pelé calado é um poeta."

Essa semana o Globo Esporte foi atrás novamente do baixinho com uma novidade.

- "Romário, Romário, o Globo Esporte descobriu recentemente um gol seu de pênalti que não foi computado na soma dos seus 998 gols até o momento! Contando com ele você só precisa fazer 1 neste fim de semana para atingir a mesma marca de Pelé." (o mais engraçado é que foi um gol aqui em CARIACICA, num jogo depois da copa de 94, Combinado Capixaba X Seleção Brasileira)

- "É, fiquei sabendo desse gol. Tem alguns outros também que não foram computados. Mas contratei 3 profissionais que estão cuidando da contagem dos gols, eles sabem o que estão fazendo. Faltam 2 para o 1000."

- "Mas Romário, e esse último gol descoberto? Se você contar com ele, vai faltar apenas 1 para o milésimo, em cima do Flamengo, no Maracanã. Como é que ele fica?"

- "Dei de lambuja."

3 comentários:

Leleco disse...

Meu voto para melhor post do ano, e dos proximos 3 tb.

Jules disse...

indubitavelmente.
principalmente porque ninguém posta mais, logo fica ainda mais fácil de ganhar.

gugu disse...

já comecei a escrever uns 4 e não terminei nenhum. o artista nunca fica satisfeito com suas obras...