Vamos voltar no tempo?

Meu primeiro contato com um computador foi em 1993, o Brasil nem tinha sido tetra ainda e o jogo do momento era Wolfenstein 3D, que consistia basicamente em um soldado americano capturado por nazistas tentando fugir da prisão.

O jogo, a propósito, é fabuloso, um clássico e o primeiro "3D" fps shooter a fazer muito sucesso.
Nesse mesmo ano, Doom foi lançado, porém só chegou nas minhas mãos um tempo depois, sabe como é, não existia banda larga... :/

Na época meu computador era equipado com o "novissimo" MS-DOS 5.x(alguém conhece?), wolfenstein, um "joguinho" assaz educativo sobre o corpo humano(adorava ele, alguém lembra o nome?), algumas outras coisas básicas e só.
O hardware?
Um 386 poderoso. :P
Um pouquinho de cultura: o 386 foi o primeiro processador a trabalhar na plataforma 32-bits(usada atualmente, mas que começa a perder força com a chegada dos processadores 64-bits e OS's/programas feitos para usar as vantagens desse novo processador).

Pouco tempo depois, meu pai comprou o Windows 3.1, algo "revolucionário" para uma criança com seus meros 12/13 anos, pois contava com inúmeros recursos multimidias que o DOS não tinha(ou não era programado para ter).
Porém ainda assim usava bastante o DOS para executar quase tudo, inclusive abrir o próprio windows. É isso mesmo, naquela época o windows era uma mera interface(algo que me decepcionou muito quando descobri).
O visual, inclusive, era bem diferente do que vemos atualmente, e era claramente uma cópia tosca do mac os.
Além, é claro, da forma como o computador devia ser desligado: você devia sair do windows, voltar ao ms-dos e digitar um comando de desligamento.
Com isso, abria-se um programa mostrando configs do seu pc, e um "desenho" do seu hd sendo desligado.
Pena não ter achado na web, mas é algo fora de série e muito divertido.

Um pouco depois finalmente tive o prazer de jogar Doom.
E conheci a chamada internet, algo BASTANTE diferente do atual, porém tinha seu charme.
Troquei meu processador para um 486 e aumentei minha memoria RAM que na epoca nem chegava aos dois digitos direito, quem tinha 16 mb de ram era rei.
Hoje em dia eu vejo como os programadores antigos eram muito bons, pois conseguiam fazer coisas totalmente fora de série para época(como o Doom e o Wolfenstein) com pouquissimos recursos(leia-se: processador lento e, principalmente, falta de memória), além de pouca informação, não existia o google para você tentar descobrir qual era a causa da segmentação no seu código...

Depois disso ganhei meu primeiro pentium, com Windows 95(esse sim trouxe enormes avanços).
Porém conheci a chatissima Blue Screen Of Death e passei a ter ódio da MS.
Mas em 1998 eu conheci o Debian e minha vida mudou(mas isso é outra história...).
O Win95 trouxe uma popularização ainda maior dos PCs devido a ser de fácil uso, e era sobre isso que eu queria falar aqui.
Com a facilidade do uso, PCs tornaram-se mais simples, e as pessoas não precisavam realmente saber nada sobre para usar, isso tem seu lado positivo e negativo.
O positivo é obvio: inclusão digital.
O negativo é tão óbvio quanto: a pessoa NÃO sabe usar um computador e invariavelmente faz merda, instala virus, clica em spam e todas essas pestes que infernizam as nossas vidas.
E isso irrita, muito. Nem é complexo saber o básico. Eu, com miseros 13 anos, "dominava" o MS-DOS.
Será que não é óbvio que você NÃO deve clicar naquele e-mail do Viagra?

A computação tem que voltar a ser só para quem sabe usar.
Todo computador tinha que vir com um teste básico de fábrica.
Se a pessoa souber responder, o PC liga, senão não use.
Fica aqui a minha sugestão.

3 comentários:

Rafael Porto disse...

Huahuehuaheuahue
Que lenda!

Meu primeiro computador foi um 486 e o primeiro jogo foi Prince of Persia, um dos melhores até hoje.
hehehe
=)

Rapaz, eu mandava bem no DOS. Sabia até compactar com o -va
=D

Rafael Porto disse...

Eu tô com inveja do pessoal de Sampa.
Juliette, killers, Artic Monkeys, Björk..
=)

thabata disse...

então... eu sou péssima para computadores.(ô novidade. conta outra.)